segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Wenn auch ich dich erwarte

Sentado em um banco de balcão em um bar espero alguém sentar-se ao meu lado, no lugar vazio. Alguém para conversar ou apenas para fingir que não estou sozinho naquele lugar. Fico lá sentado, sem nenhuma meta ou finalidade. Apenas um querer irracional e inconsciente que alguém se aproxime.
Inevitavelmente essa espera torna-se um desejo, pois de toda vontade nasce um desejo. E todo o desejo torna-se um sofrimento. Sofro por esse desejo. Desejo porque vivo, porque sinto vontade que alguém sente-se ali. Sofro porque vivo.
Alguém para por alguns instantes em frente ao pequeno banco. Sinto uma ausência de dor naquele momento. Uma satisfação, mas como todo momento de satisfação, não durável. Apenas ela pega uma bebida e parte.
A vida é uma história da dôr, que se resume assim: sem motivo queremos sofrer e lutar sempre, morrer logo, e assim consecutivamente durante séculos dos séculos, até que a Terra se desfaça.

- "Mais uma dose, por favor..."



Sat on a chair at a pub balcony I wait someone to sit by my side, at this empty place. Someone to talk or just to pretend that I’m not alone on that place. I stay there, sat, with no goal or objective. Just an irrational and unconscious wish to someone get closer.
On an inevitable way, this wait becomes into a desire, because from all wishes born a desire. And every desire becomes into a suffering. I suffer for this desire. I desire because I live, because I wish to someone sit here. I suffer because I live.
Somebody, for a while, stops in front of the little chair. I fell an absent of pain for a moment. A satisfaction, but as every satisfaction moment, isn't durable. She just takes a drink and gone.
Life is a history of pain, which resumes itself like this: with no reason we want to suffer and always fight, die soon, and then on and on by the centuries of centuries, until the end of the world.

- "One more drink, please..."

2 comentários:

  1. Yes, Drink your troubles away, that will attract women...

    ResponderExcluir
  2. How? You are in Brazil, I'm a Methodist (well, at least I used to be, anyway alcohol is technically against my religion), and what will your wife think of such a thing?

    I'll do a toast to you.

    ResponderExcluir

Locations of visitors to this page
Côcos pelo Mundo