domingo, 27 de fevereiro de 2011

Eu aceito

Alguém por acaso já se deu o trabalho de ler aqueles termos de compromisso que aparecem na instalação de algum software? Confesso que um ou outro eu já tive a curiosidade de ler. Lembro que um deles era sobre uma ferramenta de desenvolvimento gratuita, que utilizada a metodologia Agilis. Li porque queria saber se poderia comercializar um software desenvolvido por mim através dessa ferramenta.
De qualquer modo não ficou bem claro para mim. Acho que nunca fica bem claro para ninguém o que vem escrito ali. Normalmente ele vem todo em inglês e sua leitura muito extensa, pouco objetiva, torna-se cansativa. Por isso que as pessoas dão um by-pass naquela tela simplesmente clicando em "Aceito".
E por isso, também, vou fornecer um breve resumo do que geralmente você encontra lá no meio de todas aquelas palavras e em que isso vai mudar sua vida!
1) Normalmente você não vai poder comercializar um software de terceiros. Digamos que você tenha "baixado" e instalado um editor de HTML freeware - para criar home-pages. Você não pode vendê-lo como se fosse seu. Isso tem toda a lógica, mas acredite, tem gente que tenta vendê-lo na cara dura.
2) Sobre esse mesmo editor de HTML. Digamos que você criou uma homepage ululante e pretende publicá-la. Pessoas irão acessá-la, colocar propaganda, utilizar seus recursos e uma graninha vai começar a entrar. Então dependendo das cláusulas lá do Termo de Compromisso, pode ser que você tenha que pagar parte (ou todo em alguns casos) do seu lucro para a empresa fornecedora do software que você usou para criar a homepage. Isso também vale para ferramentas de desenvolvimento, tipo editores de Java, plataformas Agil e outras ferramentas que não seja o Notepad ou o Vi.
3) Se por acaso o software que você estiver instalando danificar seu sistema operacional e você perder os seus arquivos, um abraço! Esses termos de compromisso isentam a empresa de qualquer culpa sobre isso. Faça o backup antes se quiser. Se não quiser, torça pra Murphy não te visitar nesse dia.

Esses são os principais pontos que serão encontrados nesses termos de compromisso. As outras coisas são referentes ao significado de algumas palavras do documento, local e linguagem que serão utilizados caso sejam acionados judicialmente e particularidades de cada companhia, tipo uma indenização máxima de 10 dólares caso você seja prejudicado por uma negligência da fornecedora do software e outras coisas bizarras que podem estarem incluídas.
Porém eu recomendo algum cuidado nessas cláusulas particulares, as letrinhas minúsculas, pois quem sabe um dia você pode estar aceitando doar seus órgãos para uma família polonesa no dia do seu próximo aniversário.




Who ever ever bothered to read those end-user terms of agreement that appear when installing any software? I confess that I already had the curiosity to read one or other. I remember that one of them was on a free developer tools, which used the methodology Agilis. I read because I wanted to know if I could sell software developed by me through this tool.
Anyway it wasn't clear for me. I think it's never clear to anyone what is written there. Usually it's all in English and a very large text, non objective, so it becomes tiresome. That's also Why people give a pass-through that screen simply by checking "Accept" box.
And so, then, I'll provide a brief summary of what you find there, usually in the middle of all those pretty words and how this will change your life!
1) Normally you will not be able to sell third-party software. Let's consider that you have downloaded and installed a freeware HTML editor - for creating home pages. You can't sell it as your own. This is quite logical, but trust me, do there exists people trying to sell it!
2) Still about the same HTML editor. Consider that you created a marvelous home page and intends to publish it. People will access it, do advertise, use its resources and a little buck will start to come. So depending on the clauses there on the End-User Agreement, you may have to pay part (or in some cases all) of its profit for the supplier of the software that you used to create the home page. This also applies to development tools, like Java editors, Agilis platforms and other tools, but Notepad or Vi.
3) If by chance the software you're installing damage your operating system and you lose your files, take a coffee! These terms of agreement save the company from any guilt about it. Backup your data and files before install if you want. If not, you won't Murphy to visit you that day.

These are key points that will be found in these terms of agreement. The other things are related to the meaning of some words in the document, place and language to be used in court in some process cause and peculiarities of each company, as a maximum payment of $10 if you are injured by the negligence of a supplier of software and other things bizarre that may be included.
But I recommend some caution in these particular clauses, the small letters, because maybe one day you may accepted to donate your organs to a Polish family on your next birthday.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Oracle OS Remote Authentication

Normalmente os usuários de autenticação de um banco de dados não são os mesmos dos de sistema operacional. Por exemplo, quando você chega na empresa, liga sua estação de trabalho e ela pede o usuário e senha, esses dados são para que você adentre na rede da empresa. Você agora é o usuário de rede Fulano.Silva. Pode desfrutar de todos os benefícios que a rede da sua corporação oferece: e-mail, internet, IM, programas, etc.
O programa que você usa, porém, precisa acessar um banco de dados onde estão guardadas as informações que foram digitadas no dia anterior, anterior ao dia anterior e assim por diante. Esses dados são acessados por um usuário de banco que não é o Fulano.Silva, embora você ainda precise digitar FULANO.SILVA na tela de logon do programa.
Mas se seu sistema possui usuários de banco equiguais aos usuários de login na rede, você pode configurar seu banco Oracle para acessar os dados sem precisar efetuar a autenticação:

Primeiro configure os seguintes parâmetros no arquivo de inicialização do banco Oracle (initSID.ora)
remote_os_authent=TRUE
os_authent_prefix = "OPS$"

Gere um novo SPFILE:
CREATE spfile FROM pfile='initSID.ora';

Na estação de trabalho adicione a seguinte linha (ou altere) no arquivo SQLNET.ORA:
sqlnet.authentication_services = (NTS)

Conecte-se ao banco com usuário SYSTEM e altere a conta do usuário Fulano.Silva dessa forma:
ALTER USER fulano.silva IDENTIFIED EXTERNALLY;

Estamos admitindo que o usuário Fulano.Silva já existe no seu Sistema Operacional/Rede. Se Não existir, crie!

Pronto, seu programa agora não precisa mais de um arquivo de configuração indicando que usuário e senha deve ser utilizado para acessar o banco. O Oracle encarrega-se de associar o usuário do sistema operacional com a conta correspondente no banco de dados. Novamente lembrando que se, e somente se seu sistema possui contas para cada usuário individual da rede.




Normally the authentication users of a database aren't the same of the operational system. For example, when you get to the company, early in the morning, turns on your computer station and it asks your user and password, those are the necessary data to you logon to the company network. So, now you're the user system Joe.Smith. You can enjoy all the benefices that your corporation network gives you: e-mail, internet, IM, programs, etc.
However the program that you use needs to access a database where the inputted data from yesterday and the day before yesterday are stored. Those data aren't accessed by the network user Joe.Smith, but a database account, however you still need to put JOE.SMITH at your logon screen on the program.
But if your program use equal operational system and database account logon, you can configure your Oracle database to access your data without need a database authentication:

1. Set the initSID.ora parameters:
remote_os_authent=TRUE
os_authent_prefix = "OPS$"

2. Generate a new spfile
CREATE spfile FROM pfile='initorabase.ora';

3. Add the following to the sqlnet.ora
sqlnet.authentication_services = (NTS)

4. Connect as system/manager in SQL*Plus and alter the "joe.smith" user:
ALTER USER joe.smith IDENTIFIED EXTERNALLY;

We're admitting that the network/operational system user named Joe.Smith already exists. If it doesn't, so create it!

That's it, your program doesn't need anymore a configuration file telling which user and password it must use to access the database. The Oracle undertake to associate the operational system user to its database account match. Again remembering you that it will only work if, and only if your program uses individual database account for each individual network user.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Quero uma gasolina baratinha para mu amor...

Acho o preço da gasolina (e por que não dizer o álcool também) aqui no Brasil é tão alto devido a algum plano audacioso do nosso governo para ajudar o meio-ambiente e a qualidade de vida dos cidadãos. Eles devem fazer isso para que cada vez mais, menos pessoas possam abastecer seus carros, deixando-os em casa. Com isso diminuindo a incidência de gás carbônico na atmosfera, além de diminuir os congestionamentos contribuindo com o bem-estar público incentivando as caminhadas e o ciclismo. Amo meus impostos...

Gasolina (“A”) 800ml (pura, vendida pela Petrobrás) = R$ 0,80
Álcool Anidro 200ml (20% misturado à gasolina) = R$ 0,28
TOTAL = R$ 1,08 / Litro
+
CIDE – PIS/Cofins (Imposto Federal) = R$0,50
ICMS (Imposto Estadual) = R$ 0,64
TOTAL DE IMPOSTOS = R$ 1,14
TOTAL (CUSTOS + IMPOSTOS) = R$ 2,24
+
LUCRO DA DISTRIBUIDORA (Média por Litro) = R$ 0,10
FRETE (Média por Litro) = R$ 0,04
LUCRO DO POSTO (Média por Litro) = R$ 0,30

FINALIZANDO
VALOR NA BOMBA COM IMPOSTOS = R$ 2,66
VALOR NA BOMBA SEM IMPOSTOS = R$ 1,52

Portanto, se você consome 200 Litros de gasolina mês, o bolo fica dividido assim:
DONO DO CARRO (otário 1) GASTA: R$ 542,00
DONO DO POSTO (otário 2) GANHA: R$ 60,00
DONO DO CAMINHÃO (otário 3) GANHA: R$ 8,00
PETROBRÁS (gente que rala) GANHA: R$ 216,00
GOVERNO (Cagando e andando...) GANHA: R$ 228,00

P.S.: No Carrefour ainda dá pra abastecer por R$2,57!



I think that the price of gasoline (and so as alcohol) here in Brazil is so high because of an audacious plan of our government to help the environment and life quality of the citizens. They might do this so that more and more few people can fuel their cars, leaving them at home. Thereby reducing the incidence of carbon dioxide in the atmosphere, and reducing cars on the streets thus contributing to the public welfare by encouraging walking and cycling. I love my taxes...

Gasoline ("A") 800ml (pure, sold by Petrobras) = $0,80
Anhydrous 200ml (20% mixed to the gasoline) = $0,28
TOTAL = $1,08 per liter
+
Federal Tax = $0,50
State Tax = $0,64
TAXES TOTAL = $1,14
TOTAL (Cost + Taxes) = $2,24
+
Company profit (Average per liter) = $0,10
Distribution profit (owner of the truck) = $0,04
Gas Station Profit = $0,30

Conclusion
Price of the gasoline at the gas pump without taxes: $1,52
Price of the gasoline at the gas pump with taxes : $2,66

So, if you expend 200 liters of gasoline per month, the division is something like that:
CAR OWNER (Dumb 1): Expend $542,00
GAS STATION OWNER (Dumb 2): Gets $60,00
TRUCK OWNER (Dumb 3): Gets $8,00
PETROBRAS (People that works): Gets $216,00
GOVERNMENT (Giving a shit for you): Gets $228,00

P.S.: At Carrefour you still can fuel by $2,57/Liter!

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Quando comprar um Fox é melhor do que um Renault ou um Peugeot

Vou trocar o meu carro / Vou trocar numa Renault / Ou... / Ou se não Num Peugeot! Parapa pa papa (Otto)


Nada contra os carros nacionais - entendam por nacionais marcas cujo existem fábricas no Brasil -, mas em questão aos modelos populares, a qualidade de uma marca importada é sensivelmente melhor. Mesmo assim nem sempre optar-se por um modelo importado é a melhor opção custo / benefício.
Minha cunhada resolveu comprar um carro e quando ela me disse que iria optar por um Fox, eu fiquei deveras indignado. Expliquei que pelo mesmo preço ela podia comprar um Renault, Peugeot ou um Citroen. Porém existem certos fatores que devem ser considerados, além da qualidade do veículo. A manutenção é um deles.
Minha cunhada mora em Arcoverde. A cidade que fica a 250Km de Recife e 130Km de Caruaru não ofereceria qualquer infraestrutura para manutenção e reposição de peças desses veículos. Ela teria que deslocar-se para Caruaru ou Recife afim de realizar qualquer serviço no veículo. Convenhamos que isso torna a coisa um pouco impraticável.
Desse modo é completamente aceitável e lógico comprar um carro cujo atendimento possa ser efetivado na sua cidade - ou o mais próximo possível dela. O Otto que fique com o Renault ou Peugeot dele. Pra outros é melhor trocar por um modelo nacional ou nem trocar. Prefiro um Opala 78 com dois carburadores nesse caso!




I'll trade my car / I'll trade for a Renault / Or... / Or if not, a Peugeot! Parapa pa papa... (Otto)


Nothing against the national cars - understand that national brands are those where there are factories in Brazil - the popular models I mean, but the quality of an imported brand is much better. Even that not always choose an imported model is the best when we look for cost / benefice.
My sister in law decided to buy a car and when she told me she would opt for a Fox, I was very disturbed. I explained that for the same price she could buy a Renault, Peugeot or a Citroen. But there are certain factors that should be considered, but the quality of the vehicle. Maintenance is one of them.
My sister in law lives in Arcoverde. The town, which is 250km from Recife and 130Km from Caruaru, don't provide any infrastructure for maintenance and replacement parts for imported brands. She would have to move to Recife and Caruaru order to perform any service on the vehicle. Admittedly this makes things a bit impractical.
Thus it is completely acceptable and logical to buy a car whose attendance could be effected in your city - or closest to it. Otto can keep the Renault or Peugeot for him. For others it is better to trade for a national model or not, keep your old car. I Prefer a Chevrollett 78 with two carburetors in this case!

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

O Papa, os Rubronegros e o Alvirubro

Em visita ao litoral de Pernambuco, o Papa foi levado a percorrer algumas praias, onde se presenciou uma cena impressionante. Algumas pessoas gritavam, desesperadas, apontando para o mar. Forçando a vista, Sua Santidade pode ver um jovem, vestido com a camisa rosa do náutico, lutando desesperadamente contra o ataque de um tubarão.
O pânico era geral, mas três homens vestindo camisas do SPORT CLUB DO RECIFE se aproximaram da água. Um arremessou um arpão que acertou no corpo do tubarão; o segundo arrancou o jovem ensangüentado de sua enorme boca, enquanto o terceiro abatia a feroz criatura com vigorosas cacetadas.
Depois de levar o alvirubro inconsciente até a areia, os três sujeitos arrastaram o tubarão até as proximidades de uma camionete e colocaram na caçamba.
Ainda cansados, os Rubronegros foram levados até as proximidades do Papa-Móvel. O Papa, visivelmente emocionado, lhes dirigiu uma benção especial.
-Caríssimos irmãos rubronegros: a cena que hoje presenciei me ensinou muito acerca a grandeza dos homens, filhos de Deus. Sem considerar a rivalidade que existe entre os rubronegros e as barbies alvirubras, um gesto nobre, superior e heróico, levou estes abnegados rubronegros a salvar um irmão das garras da morte, mesmo sendo este um alvirubro. É um grande exemplo para a busca da paz entre os homens sempre em conflito! O Papa se despediu e, enquanto o Papa-Móvel se afastava, um dos rubronegros perguntou aos outros:
-E aí, qual é a deste velhote?
-Orra, Meu! Deixa de ser ignorante, mané, este é o Papa, o santo padre, o cara que fala direto com o Homem lá de cima. Ele tem a sabedoria divina..
-Sabedoria divina ele pode ter, mas não entende nada de pesca de tubarão......Cadê a isca? Fugiu de novo?



The Pope was visiting the Pernambuco's shore and while was passing through a beach saw an amazing scene. Some people was screaming, desperate, pointing to the sea. Forcing to see what was happening, the Pope saw a young man, wearing the Náutico's pink t-shirt, desperate fighting against a shark attack. There was panic, but three brave guys, wearing the t-shirt of the SPORT CLUB of RECIFE got close to the water.
One of them threw an harpoon on the shark's body. The second guy took out the bloody fellow from its mouth, while the third put down the fierce creature with vigorous strokes. After take out the boy from the water, unconscious, to the shore, they dragged the shark to the vicinity of a van and put in the bucket.
Still tired, the red-blackish were taken next to the Pope's van. The Pope, visibly touched, gave them a special blessing.
- Dear red-blackish brothers, Today I witnessed a scene that taught me much about the greatness of men, sons of God. Without considering the rivalry that exists between red-blackish and the barbies white-red, a noble, superior and heroic gesture from the red-blackish fellows, made they save a brother from the clutches of death, even though that one being a white-red. It is a great example for the search for peace among men
always in conflict! The Pope said goodbye, and as the Pope-mobile pulled away, one of red-blackish asked the other:
- So, what's about the old man there?
- Wazup man!!! Stop being ignorant, moron, this is the Pope, the Holy Father, the guy who speaks directly with the Man upstairs. He has divine wisdom...
- Yeah, divine wisdom he may have, but doesn't know anything about shark fishing... Where's the bait? He escaped again?
Locations of visitors to this page
Côcos pelo Mundo