quarta-feira, 8 de julho de 2009

сердца и системы кровообращения

Não recebi perguntas essa última semana. No entanto o que inspirou esse post de hoje foi uma pergunta que fiz a uma colega minha. Um simples "Tudo bem" e um simples "Mais ou menos" como resposta. Ela explicou-me que se pai havia tido uma pequena parada cardio-respiratória na noite anterior. Relativamente jovem, não fuma, não bebe, leva uma vida saudável.
Isso me lembrou dois ano atrás, mais ou menos, quando meu pai teve uma isquêmia. Uma parada um pouco mais forte que a do pai dela e um pouco mais fraca que um AVC. Ele teve algumas sequelas pequenas, já recuperadas.
Onde quero realmente chegar é que, somente quando acontece esse tipo de coisa com nossos pais é que os damos conta que eles não são mais tão jovens como achamos que eles sempre serão. É quando a nossa ficha cai. Quando vemos que eles não vão estar para sempre lá. Um aviso que temos que nos preparar para esse dia, embora ele não tenha que chegar necessáriamente amanhã.
Gostaria de dizer pra ela não se preocupar, mas sei que a preocupação é agora inevitável. Sei como é. Ainda hoje me preocupo. Ainda hoje choro a noite quando tento me preparar pra esse dia. Mas acredito que, como o meu, seu pai ainda irá estar ao seu lado para acompanhar muitos aniversários que virão, e Natais, e celebrações. Deixemos então para chorar quando realmente chegar a hora... E espero então que possamos nos consolar.

******************************************

I didn't get any questions this week. Indeed the origin of this post came from a question that I made to a friend of mine. A simple "How do you do" and a simple "More or less" as an answer. She told me that her father had a little cardiac-lung stop last night. A relative young man. No smoke. No drink. A reasonable health life.
This reminded me about two year ago when my dad had an ischemia. Something a little stronger than what her dad had and a little weaker than a brain stroke. My dad had some little collateral effects after this, but he's already recovered.
What I'm trying to show is that only when this kind of thing happens with our parents, is when we start to consider that they are not so young anymore, as we always wish that they would. That is when we see that they'll not be there forever. A warning to us being prepared to That Day, even if that day will not come tomorrow.
I would like to tell her to not worry, even knowing that it's impossible. We can't avoid this worry. We're son. I know how it is. I still worry
about it today. I still cry in the night when I try to prepare myself to That Day. But I believe that, as my dad, her dad will still be by her side for many birthdays... Many Christmas... Many celebrations. So, my dear friend, lets cry only in the real day. When the time comes. And then, I hope we can comfort each other.

Um comentário:

  1. Você escreveu um sentimento, que eu pensei que apenas eu sentia.....o dia.....como vc se refeiriu...é triste...e já passeis noites pensandos.....triste.....muito....

    Bom....quando vi a foto, pensei que era a imagem de meu figado do ultrasom :D
    Mas garanto que ele está bom de novo......O que me faz pensar na pergunta dessa semana:

    Sr Joe: Um mistura equilibradam de vinho, cerveja e cachaça mineira, com amedoim, pastelão de frango, alguns camarões, regados ao som de Pixies, o que pode causar num sujeito fraco que não bebia mto a quase 6 meses???

    ResponderExcluir

Locations of visitors to this page
Côcos pelo Mundo