terça-feira, 30 de junho de 2009

Redução de IPI... Pra que?

Eu havia ficado plus feliz com o pronunciamento da prorrogação da redução do IPI feita pelo Mantega. Vou reduzir os gastos na minha mudança na hora de comprar os
eletrodomésticos e quem sabe até sobrar algum pra comprar um novo carro com o IPI reduzido! Mas hoje estava pensando direitinho. Até agora não percebi nenhuma redução
significativa nos preços finais (repasados a nós, consumidores) para comemorar-se alguma coisa. A geladeira de R$1.100 caiu para R$1.049,99. Uau! Nem 5% de redução,
quando na verdade deveria ter sido entre 10 e 15%. Fogões, máquinas de lavar, etc... a mesma coisa. Os carros com motor 1.0 tiveram o IPI reduzido de 7%, mas foi de zero!
Achei até que estava imaginando. Que não estava vendo alguma queda mágica nos preços que todos estavam vendo. Aí li uma reportagem na Folha de SP:
"Preços ao consumidor caem proporcionalmente menos do que o benefício tributário, que custou R$ 1,6 bi ao governo. Esforço do governo pode ter servido apenas para ampliar o lucro da indústria ou do comércio ou para promover a venda de bens mais caros."
Pra mim faz sentido. Segundo Mantega uma grande parcela de culpa disto está nos governos estaduais, que teriam adotado medidas que impediram uma redução maior nos preços de eletrodomésticos, depois dos cortes no IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) promovidos pelo governo federal. Um dos governadores mais criticados foi o Sr. José Serra, de SP. O ministro afirmou que irá conversar com os governadores que de certa forma se aproveitaram dessa medida:
"Alguns governos estaduais, enquanto nós baixamos o IPI, implementaram a substituição tributária. Isso antecipa o imposto a ser pago e tira capital de giro das emrpesas. Neutralizou uma parte da redução que o governo fez. Os empresários, então, não repassaram para os preços a totalidade. Isso foi feito em São Paulo, e eu vou conversar com governadores, porque de certa forma eles se aproveitaram [dos cortes do governo]".

Redução do IPI Menor em SP


*******************************************
*******************************************

I had being very happy with the prorogue notice about the IPI reduction, by the Ministry Guido Mantega. I would reduce the expenses in my home removing when I was about to buy new domestic utensils, like refrigerator, wash machine, etc., and who knows even save some money to buy a new car with also IPI reduction! Today I was thinking better... Until know (three months after) I can't see any prices reduction to celebrate something. The refrigerator that was R$1.100,00 now it's R$1.049,99. Wow! Not even a 5% price reduction, when in fact should have been of 10 to 15%. Oven, wash machines, etc, all the same. The 1.0 engine cars should have has 7% of reduction. Was... Zero!
I was starting to think that I was imagining. Maybe only I couldn't see this magic price reduction. But I read a new about this at Folha de SP journal:
"Prices to the final consumer gone down less than the Impost Reduction, which, for the government had cost 1,6 Bi. This government effort maybe just had increased the companies’ profits, or the market which sold their products as expensive as they were."
Makes sense for me. According to Mantega some State Governors are guilt for that, because they had adopted some protectionist actions that avoided the reduction to reach the consumers. One of the most censured governors was Mr. José Serra, SP Governor, when Mantega told that the SP state made this and he was about to talk in person with those Governors:
"Some State Governors, while we had down the IPI, had implemented the tributary substitution. This anticipates the impost to be paid and take off the capital of the industry, neutralizing some part of the reduction made by our government. So, the employers didn't put down the prices as they should. This was made at São Paulo and I'll talk in person with those Governors!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Locations of visitors to this page
Côcos pelo Mundo