terça-feira, 2 de junho de 2009

Enchente em Cocal pela Baragem de Algodões I

Posso estar enganado. Talvez eu não esteja acompanhando noticiários ou esteja meio disperso. Espero realmente estar enganado, mas não estou percebendo uma mobilização social tão forte para as vítimas das enchentes que estão ocorrendo no nosso Nordeste (Piauí, Ceará e Maranhão) quanto para a que ocorreu em Santa Catarina em novembro de 2008, quando a Defesa Civil estadual e até órgãos estrangeiros se organizaram para receber doações de mantimentos, roupas e até dinheiro para vítimas das chuvas. Os atingidos pelas enchentes no Maranhão, no Ceará e no Piauí estão desamparados.
A maior parte das doações para vítimas é feita pela Defesa Civil nacional, em Brasília. Segundo a assessoria do órgão, kits com alimentos, produtos de higiene e colchões são enviados quando há solicitação do estado. Ioneide Araujo, assessora técnica da Defesa Civil no Ceará, afirmou que não está sendo realizada nenhuma campanha fora do estado para arrecadação de donativos. “Mas se alguma instituição puder ajudar, nós estamos abertos para receber doações principalmente de alimentos não perecíveis e água potável”, disse.
Segundo o coronel João Vasconcelos, do Corpo de Bombeiros do Ceará, há uma mobilização dentro do estado para arrecadar donativos. Além dos quartéis dos bombeiros, há postos em eventos culturais para recebimento de mantimentos e roupas. Em alguns casos, empresas privadas juntam uma certa quantidade de objetos e chamam a Defesa Civil para fazer a doação.
Talvez com uma boa mobilização da mídia, empresas e organizações de outros estados, esses estados pudessem então ficarem aptos a receber ajuda e donativos. Não sei até onde vai o interesse de uma mobilização desse tipo para uma região mais que excluída.
O rompimento da barragem de Algodões I destruiu todo o vilarejo de Cocal. Apenas a Escola, a Igrejinha, a Prefeitura e o único hospital da cidade conseguiram manter-se em condições de abrigar as famílias desalojadas.

value="always">

May I'm wrong. Maybe I'm not following the news. I really hope to be wrong, but I'm not seeing any social mobilization, as strong as to the flood victims of Santa Catarina, at November 2008, to the victims of the flood happened at Nordeste (States of Piaui, Maranhão and Ceará). At Santa Catarina the Local Government and even many Organizations worked to get donations, food, clothes and even money to the flood victims. The victims from Maranhão, Piaui and Ceara are experimenting no support.
Most of the donations are made by the National Government, at Brasília. According to the organization assessor, food, medication, mattress and hygiene kits are only sent when the state ask for. Ioneide Araújo, Technical Assessor of the Ceara Civil Defense told that no campaign has been made abroad the state to ask for donations "But if some institution would like to help us, we are opened to receive those donations, mainly food and good water."
According to Cor. João Vasconcelos, from the Ceará Firefighters, there is a mobilization inside the state to get donations. Beyond the Firefighter Department, there are also some collect posts at some cultural events to get food and clothes. In some cases some private corporations get some donations and call the government to distribute it.
Maybe with a good involvement of the media, companies and organizations from other states, those could be apt to receive help and donations. I just don't know how far goes the interest to do some kind of mobilization to a more then excluded region.
The Algodões I dam disruption destroyed an entire village, named Cocal. Just the school, the little church, the city hall and the unique hospital of the city could get in conditions to shelter the dislodged families.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Locations of visitors to this page
Côcos pelo Mundo